quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Devolver o Campo da Bola à População de Belver.

Nós, abaixo-assinados, na qualidade de moradores na União das Freguesias de Belver e Mogo de Malta, vimos pelo presente requerer a Vossa Excelência, que no uso dos poderes em que está investido, se digne a tomar as providências adequadas no sentido de proceder ao registo predial a favor da Junta de Freguesia do espaço designado de “Campo da Bola”, localizado na Aldeia de Belver, porquanto recentemente, fomos confrontados com o facto de tal local ter sido vedado por um terceiro, com o intuito de se arrogar proprietário do mesmo.
Como é do conhecimento público, o espaço aqui descrito foi em tempos doado com o objetivo de ser “Campo da Bola”, local onde desde tempos memoriais foram realizados vários jogos de futebol e como tal, trata-se de um terreno que é da freguesia, sendo do interesse público destas populações que todos os direitos inerentes ao mesmo sejam respeitados.

Em razão do supra exposto, solicitamos de Vossa Excelência, o máximo empenho e determinação para solucionar esta situação, e que no uso das suas competências diligencie pelo registo do respetivo espaço em nome da instituição a que a Vossa Excelência dignamente preside, com o fim de continuar a ser o "CAMPO DA BOLA DE BELVER”.
Clique aqui PF para assinar a petição;
https://peticaopopular.com/view.aspx?pi=PT84417

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Repensar o Desporto.

Vivemos num mundo que não se consegue compreender o verdadeiro sentido da frase Ética Desportiva.


A ética, seja no desporto ou em qualquer sector da sociedade, não se impõe, aprende-se, cultiva-se tornando-se uma mais-valia para o indivíduo na sua qualidade de vida e na relação com o outro.

Ultimamente temos assistido a episódios no fenómeno desportivo puramente ridículos ou mesmo escandalosos.

Desde os supostos actos de vandalismo em Alcochete, às declarações da grande individualidade internacional francesa – Platini, passando pelas Frutas do Porto e não descurando também os emails de Lisboa.

Assistimos à multiplicação de casos de corrupção, ao mercantilismo dos atletas, ao uso frequente da violência, verbal e física, à ingestão de substâncias dopantes cada vez mais sofisticadas, ao abandono progressivo dos princípios e valores inerentes ao fair play, ao aumento despudorado de casos de racismo e xenofobia nos terrenos desportivos.

A ideia de Pierre de Coubertin esta complemente desvirtuada nos tempos em que vivemos. Ele defendia a velha máxima: “O que importa na vida não é tanto o triunfo, mas o combate; O essencial não é ter vencido, mas ter lutado bem.”

Coubertin começou por se preocupar em desenvolver um modelo de reforma social por meio da educação e do desporto numa perspectiva internacional.

Através da actividade física, pretendia promover uma vida activa e saudável, apoiada na necessidade de construir um corpo robusto e saudável de forma a promover a -“cultura” do músculo, e assim se prepararem os indivíduos para combater nas possíveis investidas inimigas. Ele observava o desporto como factor directo para o equilíbrio entre as qualidades físicas e intelectuais, e assim, consequentemente, assegurar a paz universal (Rubio, 2001).

Hoje em dia em qualquer modalidade desportiva em primeiro lugar está a VITORIA, seja ela alcançada da forma mais distorcida que possa existir.

O desporto, como prazer, como “Corpo são em mente Sã”, como prática desportiva saudável deixou de fazer parte do vocabulário dos dirigentes desportivos, dos treinadores e também dos meios de comunicação social.


A onde está a Ética Desportiva?

 


Está na hora de Repensar o Desporto!

quarta-feira, 16 de maio de 2018

A VIOLÊNCIA NO FUTEBOL
A massificação e a comercialização têm sido apontadas por sociólogos como a origem estrutural de comportamentos desviantes no desporto, como a violência, o doping, a fraude entre outros. 

Reforçando a teoria de “reflexo da sociedade”, o professor Luiz Felipe Baeta Neves Flores, pós-doutor em Ciências Sociais pela Universidade de Sorbonne (França), vai ainda mais longe, ao afirmar que a “violência é intrínseca à vida social, ressaltando que, sem ela, a vida social seria impensável, histórica e logicamente”. 

O psicólogo Volkamer chegou à conclusão de que as equipas desportivas são versões reduzidas da sociedade, com as frustrações, recompensas e interacções inerentes aos grupos sociais.

Diversas ciências, cada uma à sua maneira e sob o seu ponto de vista, tentam identificar as origens e motivações da violência no Desporto concretamente no Futebol. 

Quem se concentra apenas na Psicologia, por exemplo, depara-se não com apenas uma, mas sim com quatro teorias que explicam a agressividade humana: 

-A teoria dos instintos e impulsos;
-A teoria das frustração agressão;
-A teoria da aprendizagem social;
-E a teoria da frustração agressão revisada.

Penso não existir uma ciência ou mesmo um consenso sobre estas origens e motivações. A meu ver e salvo melhor opinião em contrária parece-me que A VIOLÊNCIA é um tema complexo e no campo do Desporto – possui pouca literatura cientifica. No Futebol, que mexem com grandes camadas de adeptos, posso dizer que ainda é um paradoxo.

Vamos deixar esta matéria para estudo dos Psicólogos Desportivos.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

A Rentabilização de um Treino.

Carlos Fernandes

A Rentabilização de um Treino.
Em qualquer tipo de desporto o treino é dividido em dois elementos FUNDAMENTAIS:
O elemento técnico que é o desenvolvimento de habilidades com a bola. “O Bem Fazer”.
O elemento tático que envolve estratégias utilizadas durante um jogo, Quer tática individual, quer tática coletiva.
Quando um jogador de futebol dribla a bola pelo campo, está a demonstrar a sua técnica em jogo.
Por outro lado, quando dribla a bola num espaço aberto em vez de a passar para um companheiro de equipa, está a demonstrar a sua tática individual.
Os jogadores precisam de desenvolver as suas habilidades técnicas para que a tática funcione na sua perfeição.
O treino de circuito no futebol:
No mundo da musculação, o treino em circuito significa mudar de um exercício para outro, com uma breve pausa entre os dois. É uma ótima maneira de aumentar a força e a resistência, enquanto se trabalham vários grupos musculares.
O treino em circuito pode ser adaptado para ensinar em qualquer tipo de desporto a técnica de equipa.
Uma série de exercícios rápidos e eficazes enfocados numa habilidade específica pode ajudar a desenvolver os jogadores em diferentes circunstâncias.
O treino em circuito segue um principio básico: exercícios intensos, com intervalos programados de descanso entre estações ou entre os ciclos.
Por estações entendemos cada exercício proposto.
Por ciclo entendemos uma passagem em todos os exercícios ou estações.
Objetivo do treino de circuito
- É feito para melhorar o cardiopulmonar e o condicionamento neuromuscular dos atletas.
- O uso desses circuitos resultam no desenvolvimento de: Máxima resistência aeróbica, resistência muscular, força explosiva, flexibilidade e velocidade.
Muita atenção: Antes de iniciar o treino em circuito, o treinador deverá selecionar os exercícios, tendo em conta a intensidade do esforço, a duração de cada execução e as pausas ou recuperação, muitas vezes esquecidas, e que o treino/circuito não se torne monótono.
Bons Treinos:
(imagem utilizada do SITE do Professor Pablo Feitoza)

domingo, 21 de maio de 2017


A CAMINHADA...
Conhece algum exercício mais fácil de praticar do que a simples caminhada?
Obviamente que não!
Não exige habilidade, é barata, pode ser feita a qualquer hora do dia, antes ou depois das refeições.
Não tem restrições de idade, Bastam 15 minutos por dia e vai ver a diferencia que faz.
“Mente sã, corpo são”!
Venha Caminhar no Próximo Domingo de "Belver a Mogos".

sexta-feira, 3 de março de 2017